O silêncio é a melhor forma de dizer: “eu desisti de você”.

Por Jéssica Pellegrini

| Tags : , , , , ,

Leia o texto abaixo ao som de Passenger The Long Road

Eu me importei demais, talvez você nem imagine o quanto eu fui louca por você. Eu fiquei cega, fui inconsciente e imprudente com as minhas atitudes. Abri mão de muita coisa, estendi os meus dois braços e servi como apoio, quando a sua estrutura estava frágil. Me prejudiquei, mas nunca cheguei atrasada. Sempre estive adiantada, com surpresas, um colo quente, um carinho antes de dormir e, principalmente, com a minha indescritível ânsia em acertar, e te oferecer tudo aquilo que eu julguei que você merecesse ter e sentir. Acho que eu fui demais, para alguém de menos. Atropelei as nossas diferenças, que cedo ou tarde, eu sabia que iriam me dar um tapa na cara.

Dito e feito, eu apanhei e acordei para a vida…

Quando os relacionamentos começam, temos o defeito de acreditar que estamos vivendo um conto de fadas. Nos iludimos com cada besteira, que parece ser impossível acontecer. Fazemos planos com alguém que nem conhecemos. Por vezes, esse desespero pode ser justificado por carência, ou medo de viver sozinha. Mas a realidade, se tratando de razão e emoção, é que somos ignorantes demais por depositar a nossa própria felicidade em um caso, do mero acaso, que nos encantou por um beijo, um abraço, um gesto ou qualquer detalhe fascinante, ao nosso ver. Somos apegados a comparações e, desse jeito, qualquer mínimo se torna máximo. Depositamos confiança e expectativas em alguém, praticamente, desconhecido. Apostamos em algo que, aceitando ou não, o coração já previu o final.

Ao longo desse tempo, eu tentei te fazer a pessoa mais feliz do mundo. Eu te ofereci o que estava ao meu alcance e, mesmo quando não estava, eu dei um jeito. Você sabe, como ninguém, o quanto eu sou leal à pessoa que caminha ao meu lado. Eu brigo, sim. Tomo as dores, defendo, me orgulho, torço junto e coloco o céu como limite. Levo às estrelas, à cada pôr do sol. Eu sou tudo o que você nunca teve, ou que nunca conheceu. Você me chamava, eu corria ao seu encontro. Estalava os dedos, eu aparecia embaixo do seu nariz. Não, isso ao meu ver não é ser trouxa. É amor. Você já gostou verdadeiramente de alguém? Ou já desejou muito que a sua relação desse certo? Pois bem, se a resposta for sim, você simplesmente faz acontecer. E acontece. De um jeito natural, intenso e gostoso.

Sabe aquela pessoa que você conheceu e se apaixonou? Não sei se você reparou, mas ela não existe mais. Ela morreu aqui dentro. Você, com todos os seus deslizes e fracassos, cometeu um suicídio. E não adianta me pedir para voltar a ser o que eu sempre fui, acabou. Não tem mais jeito. E, sabe, a cada dia, você me mostra que realmente não nascemos para somar. Você me subtraiu, e diminuiu. É triste, e bastante dolorido. Levei muito tempo para compreender e aceitar. Chorei, quieta e na minha. Discuti por intermináveis vezes, te falei o meu ponto de vista uma, duas, três vezes e além. Citei claramente o que me faltava, continuei sendo o que, muito provavelmente, depois de algum tempo você nem merecia mais. Fui mulher de te desculpar, e você covarde em repetir os erros.

Sou incapaz de ser aquele alguém que você conheceu e se apaixonou. Muita coisa mudou para mim, para nós. Eu já não estou mais tolerante, muito menos paciente. A idade vai passando e, tudo o que eu quero, é uma pessoa que me assuma. Bata no peito, enfrente o que for preciso me apoiando, sempre comigo e por mim. Eu não sei lidar com imparcialidade. Meu bem, eu não sou assim. Você está falando com alguém que apanhou muito, com feridas incuráveis. Talvez, hoje, você não entenda o que é se entregar de corpo e alma, mas eu tentei te mostrar de todas as formas. Desenhei, fiz mímica, escrevi e quase cantei para chamar a sua atenção e te fazer enxergar que eu já estava distante demais dos seus sonhos egoístas. Se você não consegue interpretar o significado da palavra reciprocidade, não faz sentido o meu desgaste em tentar te mostrar. Amanhã eu tenho certeza que você vai aprender. Mas será tarde demais, eu já estarei fora do seu alcance.

Eu não te encontro mais na minha prospecção de felicidade. Não idealizo, não fantasio e não insisto. Talvez você culpe a vida, ou a mim, por não ter dado certo. Mas eu continuo afirmando que, quem não cuida, não merece ter. Se eu realmente fosse sua, como você diz, você faria qualquer coisa por mim. Mas não, não, manter-se na comodidade e na mesmice dos seus atos sempre foi e sempre será, conveniente. A única diferença, é que não estou mais disposta a aceitar que tudo seja do seu jeito. As suas palavras já não tem mais valor, promessas são apenas promessas.

O meu silêncio para você, traduz tudo o que eu insistia em reafirmar e que agora já não faz mais sentido. Estou guardando a minha saliva para o necessário a ser dito. Eu tenho aceitado, com doses homeopáticas, ficar sem você. Mas você, meu bem, sempre valorizando terceiros e as suas tarefas, está deixando passar despercebido. Quando cair em si e olhar para frente, estarei bem atrás.

Como alguém que fez de tudo para ser notada e agora se tornou o seu passado.

Se você quiser falar, sou toda ouvidos…

Mas para mim, francamente, o fim é o futuro certo.

32 Comentários em O silêncio é a melhor forma de dizer: “eu desisti de você”.

  1. Thayssa Responder 14 de junho de 2016 at 19:26

    Estranho seria se eu não…
    É um dom. Você sabe, certo?!
    Super duper power mega blaster.

    #
  2. Anônimo Responder 14 de junho de 2016 at 21:48

    Uaaaauuu… Parabéns !!!!

    #
  3. Taís Pontes Responder 15 de junho de 2016 at 01:02

    Texto perfeito!
    <3

    #
  4. Ka Responder 15 de junho de 2016 at 19:53

    Perfeito.

    #
  5. Muriel Responder 16 de junho de 2016 at 12:52

    Lindo texto!!!

    #
  6. Raquel Responder 16 de junho de 2016 at 13:22

    O texto mais lindo e profundo que já li.
    Tocou totalmente minha alma, e exatamente o que eu estou passando na vida.

    #
    • Robson Responder 9 de julho de 2016 at 22:14

      Oi Raquel…

      Eu tbm estou passando por isso no meu relacionamento. Nesse texto eu sou o homem que nunca soube o que tinha, não valorize. Hoje estou separado, mas disposto a reconquistar, sendo perseverante e querer retribuir todo amor e dedicação que minha ex esposa me deu. Eu acredito que posso reverter a situação. E preciso apenas de um voto de confiança, de uma oportunidade! Amanhã pra mim pode ser o dia “d” que eu possa ganhar a chance que preciso. Saiba que a perda me fez refletir a importância de tudo que ela mês, inclusive do mal que lhe causei.

      P.s. Homens de plantão, leiam e reflitam esse texto fantástico que descreve exatamente como se chegar a um abismo, o fim de uma história de amor. Atenção nos gestos, seja observador ectenha mais atitude.

      #
      • Silvia Responder 27 de agosto de 2016 at 10:49

        Parabéns pela sua reflexão!
        Que você tenha exito e Reconstrua seu Casamento!

        #
      • Armindo Pinheiro Responder 17 de setembro de 2016 at 18:10

        É ai, brother, conseguiu reconquistar a sua ex esposa? Espero que sim. Kkk

        #
  7. Cristina Responder 16 de junho de 2016 at 16:12

    Texto maravilhoso. Música ainda melhor.

    #
  8. Dombek Responder 18 de junho de 2016 at 22:49

    É tão impressionante como quando lemos as coisas são tão claras, tão óbvias. Mais ainda, como nos enchemos de coragem e na cabeça dizemos ” É isso, eu preciso tomar essa decisão, é o que vou fazer!”, mas em prática, é tão mais doloroso e complicado, e como é difícil zipar a boca e brecar as ações. Muito bom o texto, em muitos aspectos inspirador…

    #
  9. Glauco Responder 20 de junho de 2016 at 22:57

    Texto de excelência! ❤️

    #
  10. Anônimo Responder 21 de junho de 2016 at 01:31

    muito real sua cronica

    #
  11. elza maria e. coelho Responder 21 de junho de 2016 at 13:42

    lindo e muito fácil de entender

    #
  12. Bruna Responder 27 de junho de 2016 at 11:51

    Meu Deus, parabéns!!! Que texto completo, bem escrito e muito, mais muito mesmo verdadeiro! Eu adorei, compartilhei com alguém que merece ler nesse exato momento! Obrigada por escrever o que minha voz não conseguia falar.

    #
  13. Anônimo Responder 29 de junho de 2016 at 22:46

    Falou td e mais um pouco

    #
  14. Giselle Responder 9 de julho de 2016 at 21:47

    Descreveu minha história, tristemente perfeita .

    #
  15. Silvia Responder 27 de agosto de 2016 at 10:47

    Cara Jéssica, quero parabeniza la de seus artigos, dos conteudos profundos colocados de maneira clara e ordenada. É um orgulho presenciar uma Jovem como vcocê com tanto Potencial e com o Sentir latente!
    Parabéns querida, você é Brilhante , um Ser de muita Luz e vai longe.
    Grata por partilhar seu talento.
    Beijos

    #
  16. Anônimo Responder 29 de agosto de 2016 at 07:21

    Bravo
    Aconteceu comigo, ganhei força e determinação e simplesmente foi o FIM! Agora encontrei a felicidade e a família se criou ao longo de 6anos.
    Por vezes o fim de algo é o início de outra.

    #
  17. Anônimo Responder 31 de agosto de 2016 at 03:38

    Um silêncio de 54 linhas???

    #
  18. Anônimo Responder 31 de agosto de 2016 at 03:41

    Se a pessoa por quem ele se apaixonou morreu dentro dela… então ele não cometeu suicídio, mas homicício. Texto “profundo”… ora, vão cagar!

    #
  19. Anônima Responder 5 de setembro de 2016 at 00:05

    Perfeito!!! Chorei lendo,quem conhece minha história teria a certeza que fui eu quem escreveu

    #
  20. Clara Responder 9 de setembro de 2016 at 21:13

    nossa, parece ate que fui eu que escrevi p alguém. é exatamente isso.

    #
  21. Livia Maria Responder 25 de setembro de 2016 at 21:37

    Eu me vi nesse texto! Tudo que estou sentindo hoje, você conseguiu transcrever! Confesso que lágrimas correram pelo meu rosto, parabéns!

    #
  22. Anônimo Responder 28 de setembro de 2016 at 08:11

    Lindo texto. Tudo que passei e queria falar para a pessoa… mais ele só merece o desprezo.

    #
  23. Flavia Responder 29 de setembro de 2016 at 14:07

    Realmente perfeito.
    É vivendo e aprendendo a não se entregar por inteiro.

    #
  24. Maria Responder 22 de dezembro de 2016 at 18:08

    Me endentifiquei com o texto ,estou passando pelas msm coisas

    #
  25. Anônimo Responder 17 de fevereiro de 2017 at 11:48

    Ótimo texto, reflete bem um sentimento único que só quem já sentiu poderia ler e sentir os pelos do braço arrepiarem quando nota a semelhança entre uma crônica e a história de tantas pessoas. Mas acho que ver e compartilhar esse sentimento de insatisfação também faz parte do processo de “cura”. Embora no texto o eu lírico seja mulher, esta é uma história que pode ser vivida por homens também. Mas a vida é assim, um turbilhão de sentimentos que só não sente frustrações amorosas aquelas não deixam o amor entrar e vivem relacionamentos superficiais.
    Parabéns pelo texto

    #
  26. nil Responder 25 de abril de 2017 at 10:35

    Perfeito até dói em ler .

    #
  27. Álvaro Cavalcanti Responder 24 de maio de 2017 at 02:15

    Texto perfeito.
    Carregado de sentimento. Mas perfeito em coerência.
    Perfeito!

    Só um adendo: colocando a primeira pessoa no masculino também é verdadeiro!

    #
  28. Anônimo Responder 4 de junho de 2017 at 09:50

    Texto belo! Sei o que é isso…

    #
  29. Carlos Roberto de Oliveira Responder 19 de junho de 2017 at 21:01

    Lindo texto!!!
    Postei no Face…
    Um grande abraço…

    #

Deixe uma resposta

Comentários


btt