Deixando o melhor de mim.

Leia o texto abaixo ao som de Ed Sheeran – Give Me Love.

 

O melhor de mim, pode estar aqui ou não, nas minhas atitudes, no meu breve piscar de olhos ou no meu sorriso torto envergonhado. Às vezes, erramos por estarmos nas mãos de alguém.E analisando friamente, posso afirmar, que esse foi o meu grande erro.

Você sabia que eu estaria ali, sempre por você e foi exatamente por isso, que você não cuidou. Achou que eu continuaria nas suas mãos, mas agora, foi você quem errou. Eu consegui escapar, pelo vão dos seus dedos. Me sinto leve e se for para me sentir presa novamente, faço o contrário, abro os braços e deixo o meu corpo livre. Sentindo o vento nos meus cabelos, eu apenas fecho os olhos e memorizo um novo coração promissor de reciprocidade. Em um lugar onde ninguém jamais poderá alcançar, guardo tudo aquilo que eu aprendi com a vida. Levo comigo onde quer que eu vá, tudo o que eu conquistei com o tempo e todas as infinitas vezes que me roubaram sorrisos.

Existem sentimentos, memórias e momentos, que vento nenhum é capaz de tirar daqui de dentro. Nem mesmo um tornado. Se esse turbilhão passar por mim, eu me entrego por inteira. Não existe isso de se entregar pela metade, ou de manter o controle dos próprios limites. No meu caso, especificamente, todo pouco, é muito. Gosto dessa simplicidade que me completa, me contento apenas, com o que fizer meu coração bater mais forte. Sobre a minha confiança, que leva ao positivismo das minhas atitudes, não tem uma origem pré-determinada. Sendo clara, eu confio sem precisar conhecer.

Eu apenas confio, e confio demais.

Por isso, às vezes, eu gosto de caminhar de olhos fechados e sonhar que estou voando.

Mas, em alguns casos, eu acabo caindo, e com essa queda, alguns cristais se quebram. Resumidamente, é assim que funciona, minha confiança não é construída, mas, assim como o cristal, ela é destrutível. E uma vez quebrada, jamais voltará a ser como um dia já foi. Todo remendo, por mais bem feito que seja, nunca se tornará outra vez, um quebra cabeças novo, com todas as partes. Por mais que procure com cuidado, alguma parte sempre vai se perder e continuará um espaço vago no remendo, impedindo que outras partes se encaixem. Devido a esses cristais em pedaços quebrados que eu carrego comigo, isso resultou em uma dor imensa na coluna. É pesado, fere o ego e me causa inseguranças.

De vez em quando, essa dor passa pela cabeça e outras vezes, diminui a frequência cardíaca do coração. Aprendi com tudo isso, que ter um coração vazio, é mil vezes melhor, do que ter um coração partido. Ando com preguiça desse negócio de lágrimas no travesseiro antes de dormir, do tempo desperdiçado chorando por alguém que não merece o meu sorriso, quem dirá merecer as minhas lágrimas.

O meu coração vale muito mais do que isso, tem um valor indescritível. E o meu travesseiro, merece apenas boas noites de sono, com lindos sonhos, de preferência. Aprendi também, que não importa o quanto você se esforce e se dedique, nada disso tem o menor valor, caso o outro lado não reconheça. Qualquer relação, independente de tudo na vida, para dar certo, tem que no mínimo ser recíproca. E se você insistir em querer fazer tudo por conta própria, o amor vai continuar não sendo amado.

Essa teimosia é em vão, principalmente, a insistência em algo que não vale a pena.

Apenas, acredite no óbvio e aceite.

No final de toda essa loucura que chamamos de vida, eu te garanto sorrisos.

Se você quiser, te ofereço o melhor que existe em mim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Recomendados para você

Receba textos novos no seu e-mail!