Risco de Conflito Interno:

Notificações intensas em cada batimento cardíaco.

Escrevo para interligar dois universos: a realidade e a imaginação. Tento colocar no papel, de forma organizada, os pensamentos que estão desalinhados na minha mente. Escrevo porque me sinto bem, abraçada pelas letras. Escrevo por prazer e sofrimento, ao mesmo tempo, felicidade e tristeza, compondo o vazio que somente a tinta da caneta é capaz de preencher. Escrevo pela coragem de decifrar e retratar sentimentos, muitos que eu ainda não vivenciei. Escrevo por necessidade de expor tudo o que eu já aprendi até agora e tenho medo de esquecer com o passar dos anos. Escrevo pela facilidade de expressão, por todas as vírgulas inseridas em frases que, oralmente, sairiam depressa e embaralhadas da minha boca. Sem nenhum sentido lógico. Escrevo para desabafar e compreender tudo o que o silêncio da minha própria consciência tem a me dizer. Escrevo para me autoconhecer e descobrir semelhantes. Escrevo sem arrependimento ou receio de possíveis julgamentos. Escrevo para enriquecer conhecimento. Escrevo, porque a minha história, desde muito cedo, me ensinou essa grande lição: intensidade, entrega, perdão e recomeço. E, principalmente, para confortar corações angustiados, mostrando através de meros parágrafos e poucos minutos de leitura, que ninguém está sozinho no mundo. Escrevo para todos, porque em cada respiração profunda que eu dou, sinto vocês pulsando dentro de mim. Exalando em palavras de incentivo, transformando toda e qualquer dor no mais profundo amor.

Eu posso roubar a sua vida para escrever histórias?

Sem mexer nas feridas abertas ou nos machucados cicatrizados, vou pegar uma lembrança daqui, um descontrole emocional dali, um amor de lá. Sem pretensão e sem realidade assumida, vou colocar sentido nessa bagunça toda. Sei lá, existe uma inspiração inexplicável aqui dentro de mim. É como uma urgência intensiva de amor, ou alguma coisa que sempre fica suspensa me cutucando para se tornar um texto. Escrever leva a alma, eu só vou levar o futuro, e um pouco da sua atenção e do seu coração. Quem sabe? Estou pedindo licença, antes de invadir os seus pensamentos e descrever exatamente aqueles sentimentos mais ocultos, sem nunca mais sair. Sutilmente, quero fazer parte do seu universo particular.

Contar os problemas é o nosso maior vício. Quebre o padrão, fale dos seus amores!

Como eu posso escrever de maneira simples, sobre todos os meus sentimentos desorganizados? Como eu posso explicar que assim como qualquer leitor, eu também tenho os meus momentos de fragilidade e incertezas? Como eu posso expressar tudo o que realmente sinto através de palavras? Se quer realmente saber, eu tenho uma fé inabalável no amor, isso é o segredo da inspiração. E mesmo que ninguém leia, curta ou comente, escrever alivia a minha alma e purifica os meus pensamentos.

Deixe o seu comentário aqui!




Receba textos novos no seu e-mail!